RSS Cientifico geral Descodificação do De re aedificatoria de Alberti: gramáticas de forma para a análise e geração de edifícios sagrados

  • Criador do tópico RCAAP Rss Feeder
  • Start date
R

RCAAP Rss Feeder

Guest
Breve resumo:
Esta tese cruza duas áreas disciplinares tradicionalmente distantes, as tecnologias digitais e a História da Arquitetura, ao propor uma leitura computacional do De re aedificatoria, de Leon Battista Alberti (1485), pelo recurso ao formalismo das gramáticas de forma para a geração e análise de edifícios sagrados de planta retangular e correspondente aplicação no auxílio ao escrutínio da existência de uma arquitetura da Renascença em Portugal. O legado arquitetónico da teoria e prática de projeto de Alberti evidenciam um pensamento em que formas antecedentes e consequentes estão profundamente interligadas, podendo ser exploradas e desenvolvidas pela sua tradução em regras edificatórias, se entendidas como uma forma de computação. Do mesmo modo, a análise de projetos representativos da arquitetura portuguesa do período da Contrarreforma à luz de regras arquitetónicas estabelecidas por Alberti sugere a presença da sua linguagem de projeto nos edifícios portugueses, podendo ser lidos como uma evolução dessa mesma linguagem. Com este propósito desenvolve-se uma metodologia de investigação que recorre a modelos computacionais paramétricos para a geração de edifícios sagrados albertianos, sucedida da avaliação analítica inversa da sua capacidade generativa relativamente a um corpus de igrejas portuguesas construídas nos séculos XVI e XVII, identificando-se aspectos morfológicos e proporcionais em que são concordantes com o cânone de Alberti, e outros divergentes, que auxiliam à compreensão de uma evolução linguística da arquitetura portuguesa desse período.​



Info Adicional:
Esta tese cruza duas áreas disciplinares tradicionalmente distantes, as tecnologias digitais e a História da Arquitetura, ao propor uma leitura computacional do De re aedificatoria, de Leon Battista Alberti (1485), pelo recurso ao formalismo das gramáticas de forma para a geração e análise de edifícios sagrados de planta retangular e correspondente aplicação no auxílio ao escrutínio da existência de uma arquitetura da Renascença em Portugal. O legado arquitetónico da teoria e prática de projeto de Alberti evidenciam um pensamento em que formas antecedentes e consequentes estão profundamente interligadas, podendo ser exploradas e desenvolvidas pela sua tradução em regras edificatórias, se entendidas como uma forma de computação. Do mesmo modo, a análise de projetos representativos da arquitetura portuguesa do período da Contrarreforma à luz de regras arquitetónicas estabelecidas por Alberti sugere a presença da sua linguagem de projeto nos edifícios portugueses, podendo ser lidos como uma evolução dessa mesma linguagem. Com este propósito desenvolve-se uma metodologia de investigação que recorre a modelos computacionais paramétricos para a geração de edifícios sagrados albertianos, sucedida da avaliação analítica inversa da sua capacidade generativa relativamente a um corpus de igrejas portuguesas construídas nos séculos XVI e XVII, identificando-se aspectos morfológicos e proporcionais em que são concordantes com o cânone de Alberti, e outros divergentes, que auxiliam à compreensão de uma evolução linguística da arquitetura portuguesa desse período.



Autor:




Clica para continuares a ler...
 
Voltar
Topo