Articulação da Rede Formal e Informal no Apoio ao Idoso

  • Criador do tópico RCAAP Rss Feeder
  • Start date
R

RCAAP Rss Feeder

Guest
Breve resumo:
O presente estudo tem como foco a lógica de Articulação entre a Rede Formal (Serviço de Apoio Domiciliário) e a Rede Informal (Família) no Apoio ao Idoso. Deste modo, foi objetivo geral do estudo compreender como se articula a rede formal e informal no apoio ao idoso. Aquando da necessidade de prestação de cuidados ao idoso é necessário refletir sobre os constrangimentos e as vantagens do apoio que advém da rede informal. Atendendo atualmente a vários fatores, surge por parte da família a indisponibilidade para cuidar dos seus idosos, acresce, desta forma, a importância da rede de apoio formal. O estudo privilegiou a abordagem qualitativa, sendo a amostra costituída por 10 familiares de idosos a beneficiar do Serviço de Apoio Domiciliário e 10 ajudantes familiares da instituição. Através da análise de conteúdo, emergiram várias categorias e subcategorias, tendo-se concluído que os serviços prestados pelas ajudantes familiares passam pelas atividades básicas: alimentação, higiene pessoal, tratamento de roupas e higiene habitacional, sendo os serviços prestados todos os dias exceto domingos e feriados, conforme os horários e mapas de trabalho. Relativamente à avaliação de necessidades e resposta na prestação dos serviços, o horário de trabalho foi o aspeto que se destacou. As ajudantes familiares referem que apesar de existirem famílias que se responsabilizam, existem também as que se desresponsabilizam após o início do apoio formal. o relacionamento existente entre as ajudantes familiares referem que apesar de existirem famílias que se responsabilizam, existem também as que se desresponsabilizam após o início do apoio formal. O relacionamento existente entre as ajudantes familiares, a família e o idoso é positivo, existindo rotatividade entre as ajudantes. A maior arte das ajudantes considera que o Serviço de Apoio Domiciliário não substitui a família. Evidenciou-se uma relação de proximidade, ajuda, afeto, respeito e cumplicidade entre família e idoso,. Motivações como a doença do próprio idoso, o dever a o evitar da institucionalização levaram a família à prestação de cuidados. A higiene pessoal e habitacional, alimentação, mobilização, vigilância, companhia, tratamento de roupas, acompanhamento ao médico e compras são os cuidados prestados diariamente pela família. Existe partilha na responsabilidade de cuidar com outros familiares e a existência de apoio de amigos e vizinhos. Quanto às necessidades/constrangimentos subjacentes ao cuidado destacam-se as dificuldades físicas. Foram as razões de âmbito familiar (impossibilidade/indisponibilidade) e pessoal (incapacidade e doença) que levaram à procura institucional. A iniciativa para esta procura partiu da família ou de outros familiares do idoso, havendo a preocupação de efetuar contatos com os responsáveis ou visitas à instituição. Quanto aos serviços que o idoso ususfrui do Serviço de Apoio Domiciliário, estes passam pelas atividades básicas referidas anteriormente. A avaliação feita pelos familiares em relação ao apoio formal é na sua maioria positiva. Evidenciou-se um papel de responsabilidade porparte de famiiares após o início do apoio formal. Constatou-se também que a relação existente entre ajudantes familiares, idoso e família é boa. Na relação entre a rede formal e informal, na opinião da família, destaca-se a partilha de responsabilidades entre ambas as redes.​



Info Adicional:
O presente estudo tem como foco a lógica de Articulação entre a Rede Formal (Serviço de Apoio Domiciliário) e a Rede Informal (Família) no Apoio ao Idoso. Deste modo, foi objetivo geral do estudo compreender como se articula a rede formal e informal no apoio ao idoso. Aquando da necessidade de prestação de cuidados ao idoso é necessário refletir sobre os constrangimentos e as vantagens do apoio que advém da rede informal. Atendendo atualmente a vários fatores, surge por parte da família a indisponibilidade para cuidar dos seus idosos, acresce, desta forma, a importância da rede de apoio formal. O estudo privilegiou a abordagem qualitativa, sendo a amostra costituída por 10 familiares de idosos a beneficiar do Serviço de Apoio Domiciliário e 10 ajudantes familiares da instituição. Através da análise de conteúdo, emergiram várias categorias e subcategorias, tendo-se concluído que os serviços prestados pelas ajudantes familiares passam pelas atividades básicas: alimentação, higiene pessoal, tratamento de roupas e higiene habitacional, sendo os serviços prestados todos os dias exceto domingos e feriados, conforme os horários e mapas de trabalho. Relativamente à avaliação de necessidades e resposta na prestação dos serviços, o horário de trabalho foi o aspeto que se destacou. As ajudantes familiares referem que apesar de existirem famílias que se responsabilizam, existem também as que se desresponsabilizam após o início do apoio formal. o relacionamento existente entre as ajudantes familiares referem que apesar de existirem famílias que se responsabilizam, existem também as que se desresponsabilizam após o início do apoio formal. O relacionamento existente entre as ajudantes familiares, a família e o idoso é positivo, existindo rotatividade entre as ajudantes. A maior arte das ajudantes considera que o Serviço de Apoio Domiciliário não substitui a família. Evidenciou-se uma relação de proximidade, ajuda, afeto, respeito e cumplicidade entre família e idoso,. Motivações como a doença do próprio idoso, o dever a o evitar da institucionalização levaram a família à prestação de cuidados. A higiene pessoal e habitacional, alimentação, mobilização, vigilância, companhia, tratamento de roupas, acompanhamento ao médico e compras são os cuidados prestados diariamente pela família. Existe partilha na responsabilidade de cuidar com outros familiares e a existência de apoio de amigos e vizinhos. Quanto às necessidades/constrangimentos subjacentes ao cuidado destacam-se as dificuldades físicas. Foram as razões de âmbito familiar (impossibilidade/indisponibilidade) e pessoal (incapacidade e doença) que levaram à procura institucional. A iniciativa para esta procura partiu da família ou de outros familiares do idoso, havendo a preocupação de efetuar contatos com os responsáveis ou visitas à instituição. Quanto aos serviços que o idoso ususfrui do Serviço de Apoio Domiciliário, estes passam pelas atividades básicas referidas anteriormente. A avaliação feita pelos familiares em relação ao apoio formal é na sua maioria positiva. Evidenciou-se um papel de responsabilidade porparte de famiiares após o início do apoio formal. Constatou-se também que a relação existente entre ajudantes familiares, idoso e família é boa. Na relação entre a rede formal e informal, na opinião da família, destaca-se a partilha de responsabilidades entre ambas as redes.



Autor:




Clica para continuares a ler...
 
Voltar
Topo